sábado, 4 de março de 2017

Resenha do livro A Garota no Trem








 Bom...começo a resenhar esse livro dizendo que é um thriller psicológico de muita qualidade, muitas reviravoltas, que nos prende do início ao fim, e é também (algo que me impressionou muito), o primeiro livro da autora britânica Paula Hawkins. Desde já, eu posso afirmar para vocês que não verei o filme, pois tenho um certo receio, do filme não corresponder a qualidade do livro, fazendo-me ficar decepcionada, com uma história tão agradável e surpreendente!

Mas vamos a história: O livro é narrado na primeira pessoa, nas vozes de Rachel (que é a protagonista), Anna e Megan. Vou me posicionar aqui e dizer que, apesar de todos os defeitos e erros, o livro todo, a minha torcida para tudo, foi para Rachel, realmente tomei o partido dela. Provavelmente vocês entenderão o por que, ao longo da resenha.

Divorciada, desempregada e Alcoólatra...todos os dias Rachel viaja no trem de Ashbury para Londres. A parte mais emocionante nesse trecho, é quando o trem para no sinal vermelho, em frente a casa número quinze em Witney, onde mora um casal, que Rachel imaginar chamar de Jess e Jason. Ela imagina uma bela e feliz vida para esse casal, cria em sua mente fantasiosa, toda uma história com apenas momentos felizes para eles. Todos os dias segue essa rotina, pois Rachel escondeu de todos que estava desempregada, e para manter a mentira, ela se ausenta de casa, indo para Londres todos os dias.

Até que um dia, Jess (na verdade ela se chama Megan) desaparece.

Rachel esteve na vizinhança da casa dela, na triste noite em que Magan sumiu .Ela pode ter testemunhado algo. Então ela se vê na luta para lembrar o que aconteceu naquela noite.

O q será que aconteceu com Megan? Isso atormenta Rachel, e consequentemente, os leitores. Mas ela não consegue se lembrar, tinha bebido muito. A narrativa é tão rica, que podemos sentir a agonia e luta interior de Rachel para se lembrar. Porém a narrativa não é confiável, pois ela é alcoólatra, portanto o leitor se vê um tanto confuso, (ao menos eu fiquei), tentando adivinhar se aquilo é real ou sonho. Mas acredito, que talvez, seja isso que tornou o livro tão bom.

É um  thriller psicológico. Os capítulos se alternam entre a três mulheres da história: Rachel, Anna e Megan. 

O ritmo da narrativa é um pouco devagar no começo, mas a partir do momento em que Megan desaparece, o ritmo ganha velocidade, e consegue cativar o leitor até o final, com grandes revelações e surpresas.

O livro a meu ver, tira o fôlego de qualquer um, principalmente, quando Megan desaparece, nos fazendo ler mais e mais, para descobrir o que aconteceu com ela, mas essa ânsia nos leva a uma outra surpresa, que só o livro pode nos dizer.

Confesso que fiquei chocada com o final do livro, nunca imaginaria tamanha reviravolta, leiam, vocês não vão se arrepender. Conheçam essa escritora britânica que promete muito e desde já, já sou fã dela!




                                                                 Escritora: Paula Hawkins









Resenha do Livro A Lista do Nunca

Resenha do livro A Lista do Nunca   Bom... começo a resenhar esse livro dizendo de como fui burra em não ter lido este l...